quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A conta da vida!



A matemática em viagens funciona de modo diferente da convencional.
Quanto mais dividimos experiências, mais multiplicamos a alegria de vivenciá-las. Quanto mais somamos amigos e locais visitados, mais subtraímos tristezas e inquietações. As viagens podem ser fracionadas, porém o conhecimento é sempre exponencial. O denominador comum é sempre o companheirismo.

Assim como recomendou Ernest Hemingway, “nunca viaje com alguém que você não ame”. Afinal, o maior prazer intrínseco no ato de viajar é o compartilhamento de ideias, impressões e sentimentos. Carregamos na garupa uma companhia que será nosso guia, auxiliará nas recordações e fará parte de nossos relatos.

Essa companhia fará com que o brilho do sol fique ainda mais intenso, a estrada mais encantadora e as curvas mais amenas. Essa companhia também nos fará enxergar a paisagem sob um novo ângulo, ver o caminho sob outra perspectiva e encarar o desconhecido sob um prisma ainda mais empolgante.

 (Esse texto foi tirado dos fazedores de Chuva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário